Discurso de Formatura da Turma 21

Encerramento do Curso de Formação em Terapia Transpessoal – Turma 21 do Grupo Omega

Realizado pela Coordenadora Pedagógica Vera Eça

 

É com muita honra, que participo desta solenidade de encerramento, sou grata a Deus pela presença de cada um de vocês, que fizeram parte da minha vida de maneira muito especial.

Fico feliz porque essa solenidade de encerramento, além de marcar a trajetória exitosa de cada um, é também, um resgate de valores.

Gostaria de parabenizar os alunos da turma 21 e quero dizer que amei estar com vocês, acompanhei de perto esforço de cada um, nas supervisões e cursos de aprofundamento, onde tive a oportunidade de observar o quanto vocês de maneira especial, estimularam o desenvolvimento, equilíbrio e autonomia de pessoas sofridas, para que ganhassem mais confiança nesse mundo tão hostil, desajustado, e fragmentado, colaborando para que cidadãos em conflito, fossem resgatados, curados e respeitados em sua essência. Bom Trabalho!

Gratidão ao Omega, por possibilitar a formação de pessoas que optaram em trabalhar para o bem da humanidade. Hoje estou muito feliz com o desempenho de nossos profissionais, professores, diretores, gerentes, serviços gerais, caseiro. Todos deram seu melhor, para que hoje vocês pudessem mudar de Status e terem esse lindo sorriso no rosto

“Rites de Passage” é uma expressão francesa que foi adotada por antropólogos e escritores europeus para definir todos os rituais e cerimônias que propiciam a passagem de uma pessoa para uma nova forma de vida ou um novo status social.

Parabenizo os queridos alunos pelo resgate desse RITO DE PASSAGEM, tão imprescindível na vida das pessoas e que lamentavelmente está sendo deixado de lado por todos, inclusive pelas escolas.

Os ritos de passagem servem para solenizar certos momentos da vida humana, como nascimento, casamento, formatura e morte.

Porém, sua maior função é ajudar os jovens a superar a crise psicológica que freqüentemente acompanha a mudança de uma idade para outra da infância para a adolescência e desta para a idade adulta, pois os seres humanos precisam de papeis, semáforos, títulos, e ritos, para se sentirem pertencentes, inteiros.

Nas solenidades de encerramentos e formaturas, mais que a festa, as becas, os chapéus, o diploma, os abraços, as lágrimas, os discursos e as despedidas, o mais importante é o rito, que marca a mudança de status de um membro da sociedade.

A partir desse rito, vocês não serão mais alunos e sim, NOVOS TERAPEUTAS. Saem do status de alunos para Colegas

Todas as sociedades, mesmo as mais primitivas, têm seus ritos de passagem, que determinam transição, pertencimento, aceitação, encerramento de ciclos, início de etapas. Quando as sociedades eliminam tais ritos, os jovens ficam perdidos, confusos, desorientados, desorganizados, pois passam de ciclos sem estágios.

Por essa razão atualmente é muito difícil para alguns jovens abandonarem a infância e adolescência, “geração Canguru” com tranqüilidade, muitas vezes encontram-se adultos esticando a adolescência, acomodados na casa dos pais com 35, 40 anos, com medo de abandonar o ninho ou o conforto da casa paterna.

A sociedade moldada pelo modismo ou pelo consumismo, eliminou os ritos de passagem e as meninas não querem mais festejar seus 15 anos, não têm mais expectativa em relação ao primeiro batom, pois a partir de 4 anos, já andam maquiadas diariamente, não têm expectativa do primeiro salto alto, do 1º soutian, do primeiro beijo, suas etapas estão misturadas, são ditadas pela mídia, pela moda, pela falta de senso crítico das sociedades.

Com o advento da televisão e das tecnologias, aldeias indígenas estão sofrendo a invasão da cultura branca que destrói tradições e ritos e os jovens estão partindo para o alcoolismo e drogas, sendo alto o índice de suicídios nas aldeias.

Os ritos de passagem são formas de se organizar a vida e a cabeça das pessoas, quando isso não ocorre, criam-se gestalts( lacunas) que precisam ser preenchidas de alguma forma.

As modernas sociedades não fornecem mais iniciações existenciais. O contato com a natureza se dessacralizou, os ritos se transformaram em turismo, perdendo suas virtudes transformadoras.

Uma pena, pois cerimoniais concedem segurança, seqüência, partilha de sentimentos, marcam encerramentos, união grupal, demonstram ordem, respeito, fecham e iniciam etapas, são um sistema simbólico de comunicação.

A partir do Rito, Todos passam a saber que fulano agora é casado ou entrará na faculdade, já é médico ou terapeuta.

Portanto, os ritos reafirmam a identidade pessoal e coletiva, são fenômenos especiais que sinalizam as mudanças em nossas vidas.

Nosso mundo tem necessidade de ritos modernos e positivos como esse que vivenciamos hoje, estamos carentes de cerimônias originais, de reencontros profundos e abraços de ternura.

Todos conhecem a musica que diz: “Nada do que for será de novo do jeito que já foi um dia, tudo passa tudo sempre passará”.

Verdade, tudo muda a toda hora, nossas prioridades mudam e mudarão, assim como também nossa leitura de mundo mudará para sempre. Por isso não devemos nos entristecer porque as coisas acabaram ou mudaram e sim, agradecermos porque fizemos parte delas.

Fiquem certos que levaremos conosco uma intensa bagagem de recordações de cada um de vocês. Ficaremos aqui, no aguardo de um alô, um abraço e estaremos na torcida do grande sucesso que cada um terá. Parabéns a todos por mais esse ciclo que se fecha, hora de confraternizarmos e celebrarmos conquistas, Foi muito bom estarmos juntos.

Agora é tempo de encontrarmos motivos para seguimos em frente e nos abrirmos às novas bênçãos.

Nesse novo período, não faltem sonhos, ideias, projetos, amores, trabalhos e realizações. Levem a certeza que nos empenharemos bastante, para que vocês possam voar seguros para o sucesso. Lembrem-se, cada um ficará eternizado em nossos corações. Muito obrigada, pelo carinho, atenção e respeito, um beijo no coração de cada um.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *